Arquivos da categoria: Fotografia

O silencioso trabalho de Vivian Maier

Sem dúvida estamos diante de um raro momento

Principalmente se você, assim como eu, for um amante da fotografia.

Quem poderia imaginar que em pleno século XXI veríamos algo deste tipo?

Estou falando da descoberta do trabalho de uma fotógrafa de uma sensibilidade incrível, capaz de tirar fotos espetaculares que tocam nossa alma, realizando seu trabalho durante toda a sua vida, quieta e totalmente sozinha.

Mas mais do que isso, estou falando de uma história fascinante e, do meu ponto de vista, ainda mais interessante pelo fato de que estamos bem no meio dela, e ninguém sabe ainda ao certo o que nos espera em seu final.

Afinal, como poderíamos conhecer o trabalho de Vivian Maier, se ela mesmo, muitas vezes, sequer revelava seus filmes?

Teria sido talvez por pura falta de dinheiro?

Vivian Maier nasceu em Nova York em 1926, mas cresceu entre a França e os Estados Unidos até seus 25 anos, quando se mudou definitivamente para os Estados Unidos. Com 30 anos, em 1956 mudou-se para Chicago e durante 40 anos trabalhou como babá, morrendo recentemente em 20 de abril de 2009, aos 83 anos.

Muito embora tenha nascido em Nova York, Vivian não era exatamente uma americana. Seus pais eram franceses e austríacos, ela cresceu na França e mesmo depois de muito tempo morando na América ainda falava com sotaque francês.

Segundo parentes e conhecidos, Vivian Maier possuía um espírito livre que magicamente tocava a todos que a conheciam. Era uma pessoa sempre pronta para dar conselhos e opiniões. Era sempre uma mão amiga e as crianças das quais cuidou dizem que ela era como a Mary Poppins: excêntrica, metódica, firme, amorosa e deliciosa.

Embora trabalhasse como babá, era uma crítica de cinema, tinha uma personalidade forte e vivia com sua câmera fotográfica nas mãos. Agora, podemos saber que ela também era, sem dúvida, uma excepcional fotógrafa.

Vivian fotografava o cotidiano, o dia a dia, e praticamente todas as suas fotos são de rua. Vivian não mostrava suas fotos para ninguém e muitas vezes nem ela mesma sequer viu o que fotografou.

Tudo indica que Vivian nunca fez nenhum curso de fotografia e seu trabalho era fruto da sua intuição, da maneira como via o mundo, da sua sensibilidade e do seu olhar.

Sem dúvida seu olhar e a maneira como compunha as fotos foram seus pontos fortes, e isso, somado a uma incrível sensibilidade, resultou num trabalho excepcional.

Recém-descoberto e ainda muito pouco explorado, seu trabalho já está sendo considerado por alguns dentre os Top 5 sob o tema “arte de rua”.

Acho que podemos comparar o trabalho de Vivian Maier com o de Emily Dickinson, uma espécie de gênia introvertida cujo trabalho só foi descoberto depois da sua morte.

Mas como ela foi descoberta?

Recentemente, há menos de dois anos, em 2009, o agente imobiliário John Maloof estava fazendo uma pesquisa para documentar a história do principal parque de Chicago, o Portage Park, e comprou em um leilão, uma caixa cheia de negativos de fotos do cotidiano da cidade de Chicago por meros US$ 400.

Quando começou a digitalizar os negativos percebeu que, mesmo não entendendo muito sobre fotografia, as fotos pareciam ser trabalho de um profissional. Postou então algumas destas fotos no Flickr e pediu a opinião de quem entendia. Qual não foi a sua surpresa, quando começou a receber centenas de e-mails perguntando de quem eram aquelas fotos.

Foi então que John Maloof se deu conta que estava diante de um tesouro e talvez uma das mais impressionantes descobertas no mundo da fotografia. Estava diante de uma obra-prima e de um trabalho raro.

Quem era então aquela mulher? Mesmo vendo algumas fotos que ela tirou dela mesma, John não sabia até aquele momento quem era esta fotógrafa, sua história, seu nome.

Até que encontrou o nome dela, Vivian Maier, em uma das caixas. Correu no Google e qual não foi sua surpresa quando descobriu que ela tinha falecido há apenas poucos dias.


VIVIAN MAIER


Vivian Maier, proud native of France and Chicago resident for the last 50 years died peacefully on Monday. Second mother to John, Lane and Matthew. A free and kindred spirit who magically touched the lives of all who knew her. Always ready to give her advice, opinion or a helping hand. Movie critic and photographer extraordinaire. A truly special person who will be sorely missed but whose long and wonderful life we all celebrate and will always remember. Memorial donations can be given to the Native American Heritage Association, P.O. Box 512, Rapid City, SD 57709.
Published in the Chicago Tribune on 4/23/2009

Infelizmente Vivian Maier sequer soube que seu trabalho foi achado e que está sendo tão reconhecido, e John nunca poderia imaginar que aqueles negativos que lhe custaram apenas US$ 400 poderão vir a valer algumas centenas, ou quem sabe até mesmo, alguns milhões de dólares e que todos nós teríamos acesso a um trabalho e um legado tão belo.

Mas há ainda mais para se descobrir e falar sobre Vivian Maier. Afinal dos mais de 100.000 negativos, John viu até este momento cerca de apenas 1/3 de todo o trabalho dela e segundo ele, ainda levará alguns anos para terminar todo o trabalho de digitalização das fotos.

Sem contar que há caixas de rolos de filmes que sequer foram revelados!

Sem dúvida uma história rara e impressionante.

Além do que, como já disse, uma das coisas mais interessante é que estamos bem no meio desta história.

Vivian viajou o mundo com sua máquina e fotografou vários lugares. Podemos imaginar então quanta coisa bonita ainda está por vir de todo este maravilhoso legado que ela nos deixou.

Um trabalho fantástico, sensível, tocante que em boa parte, nem a ela própria teve a oportunidade e o privilégio de ver.

Veja agora alguns comentários do próprio John Maloof, em seu blog:

There’s still a good 90,000 negatives to scan and a few hundred B&W rolls to develop. Not to mention about 600 undeveloped color rolls. I’ve also safely archived over 3000 of her prints.Há ainda algo como 90.000 negativos para digitalizar e algumas centenas de rolos de filmes preto e branco para serem revelados. Para não mencionar a cerca de 600 rolos de filmes coloridos que também precisam ser revelados. Eu já arquivei com segurança mais de 3.000 fotos dela.

Over the course of scanning her work I’ve discovered that Vivian traveled the world in 1959. She visited and photographed places like Egypt, Bangkok, Thailand, Taiwan, Vietnam, France, Italy, Indonesia…the list goes on. Something also notable is that she traveled alone.

Ao longo do trabalho de digitalização do trabalho dela eu descobri que Vivian viajou o mundo em 1959. Ela visitou e fotografou lugares como Egito, Bancok, Tailândia, Taiwan, Vietnã, França, Itália, Indonésia … a lista continua. Algo também notável é que ela viajou sozinha.

I’ll update the blog with more info as things progress.

Irei atualizando o blog com mais informações conforme as coisas forem acontecendo.
As a final note, again, I want to thank everyone for their support and encouraging emails. There’s a lot of weight on my shoulders and I hope I’m doing the right thing for Vivian’s legacy.

Como comentário final, mais uma vez, quero agradecer a todos pelo apoio e e-mails encorajadores.

Há um enorme peso em meus ombros e eu espero que esteja fazendo a coisa certa para o legado de Vivian.

Assim como uma fotografia, o trabalho de Vivian Maier sai de uma câmara escura e está sendo revelado ao mundo, somente depois do período em que ela viveu.

No ano passado houve a primeira exibição dos seus trabalhos no Chicago Cultural Center.

Outras exposições estão acontecendo e teremos outra agora em Janeiro de 2012, no dia 28, no Howard Greeberg Gallery em Nova York.

Na Amazon já está à venda seu primeiro livro com uma parte do material dela. Eu já comprei um!

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça agora um pouco  do trabalho de Vivian Maier:

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 

 

Conheça agora a fotógrafa Vivan Mayer, através de suas próprias lentes:

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 
 

 

 

Termino este post com uma foto que resume bem seu trabalho e, na minha opinião, fala mais do que mil palavras:

Vivian Maier *1926 +2009

 

Saiba mais sobre ela em:

http://www.vivianmaier.com

http://vivianmaier.blogspot.com

Veja uma reportagem sobre ela feita pelo programa americano Chicago Tonight:

 

E aqui, outro vídeo com uma coletânea de algumas de suas fotos.

Muito bonito!

 

Por último, para quem desejar, clique aqui e tenha acesso a mais algumas fotos de Vivian Maier

 

Fotos by Fabio Costa

Eu adoro fotografia e adoro fotografar.

Este post é uma homenagem a um novo e já muito talentoso fotógrafo, meu amigo: Fábio Costa.

Vejam abaixo que sequencias mais linda de fotos que ele tirou!!!

Fala sério, estas fotos mereciam um prêmio, não?

Parabéns mais uma vez Fabinho!!!

E na próxima viagem, “tamo junto”

😉