O filme A ONDA e o Hamas, os PeTistas e outras crenças

Tenho analisado e percebido várias similaridades dos fatos do Hamas na Palestina e o comportamento dos PTistas aqui no Brasil.

Muito embora sejam histórias muito diferentes em seus contextos, existem comportamentos parecidos, de forte militância, de incompreensão frente aos fatos, por mais que chovam informações contrárias.

Ambos vivem como que num sonho, num mundo a parte. Ambos não desejam a realidade, desejam apenas continuar na sua ilusão, nas suas convivcções, na sua fé, na sua crença, seguindo seus líderes.

O mesmo acontece com qualquer religião fundamentalista ou com qualquer religioso mais convicto, mais entregue a uma causa. Eu mesmo já vivi isso e sei bem como é. Hoje, liberto deste tipo de comportamento, volto no tempo e me lembro de quando eu estava cego, como nenhuma palavra, nenhuma frase, nenhum argumento era suficiente para desmontar o que eu acreditava.

Tenho pensado muito a este respeito e tentado encontrar palavras para juntar as peças que enxergo de modo a expressar minhas idéias.

Foi então quando me lembrei de um filme: A Onda.

Assistam este filme, A ONDA, e compreenderão muito do que está acontecendo hoje no cenário brasileiro, o que está acontecendo lá na Palestina com o Hamas e o que acontece com qualquer seguidor de qualquer religião fundamentalista.

Mas falando um pouco do filme, ele se passa nos dias de hoje, numa época em que os alemães já não acreditam mais que uma ditadura poderia surgir na Alemanha moderna. Neste cenário, numa escola, um professor do colegial oferece um experimento e mostra quão fácil é manipular as massas.

Cria então um movimento que ele chama de A Onda e devagarinho, sem que os alunos percebam, os vai manipulando de modo que estes se sintem parte de uma única entidade.

Nesta altura os que aderiram A Onda já começam a ridicularizar e incomodar os outros alunos que não pensam e agem como eles.

O professor então cria símbolos, cores e maneiras de se vestir para que haja ainda mais distinções entre os alunos de modo a unir ainda mais todos eles.

O símbolo criado é espalhado na forma de adesivos ou pichações por toda a cidade. A Onda promove festas onde só membros podem entrar, e a ridicularização e o menosprezo contra os que não fazem parte da Onda é comum.

Vários se envolvem fortemente com a idéia, pois pela primeira vez se sentem aceito em um grupo.

Os animos se acirram cada vez mais e brigas começam a surgir e ficar cada vez mais frequantes.

Nesta altura já enxergam como é bom fazer parte da Onda e como quem não faz parte não compreende e julgam como traidores qualquer membro que pense em sair.

Quando o professor percebe que a história já tinha ficado séria demais, revela e mostra que tudo aquilo era apenas um experimento. Mostra como que aquelas idéias jamais poderiam ser reais ou factíveis e mostra como todos estavam sendo manipulados todo o tempo e daclara o fim do experimento, fim da A Onda.

Nesta hora a dor é enorme para todos que fazem parte da Onde. Uma realidade dificil demais para compreenderem. Um dos alunos não suporta esta realidade e saca uma arma e se recusa a aceitar e quando um dos alunos tenta lhe mostrar como ele esta enganado, este atira contra o peito deste colega.

Na sequencia, aponta a arma para o professor mas quando argumentaram que ele não poderia matar o professor, o lider da A Onda, pois isso sim acabaria definitivamente com a A Onda.

Ele então não suporta a realidade e atira em sua própria boca.

Este filme mostra como uma idéia, quando impregnada na mente de uma pessoa, de modo a construir um sonho de um novo mundo, de modo a te colocar como parte de um grupo melhor, diferenciado, é extremamente forte e muito difícil de ser retirada.

Isso explica muita coisa!

É exatamente o que acontece hoje na Palestina com o Hamas. O Corão faz exatamente isso com seus súditos, faz com que eles pensem que são melhores, soberanos. Os unem como um grupo diferente, melhor e menospreza os demais.

E é exatamente o que aconteceu e acontece aqui no Brasil com o PT.

Portanto, que isso fique de aviso para todos nós.
Estamos bastante longe do Hamas e felizmente aquela guerra não nos aflige tanto. No entanto o Brasil pode sim virar uma ditadura novamente.

Tal qual como no filme A Onda, onde todos acreditavam que isso era impossível, vejo muitos brasileiros pensando da mesma forma e menosprezando um possível futuro que se constroi à nossa frente e hoje também muita gente ainda não acredita que uma ditadura possa surgir em nosso país, por mais que inúmeros acontecimentos venham acontecendo.

Explica também porque para alguns é tão difícil ficar sem sua esperança, sua crença, afinal, é realmente muito difícil e porque não, decepcionante, perceber que você seguiu o líder errado, dedicou tempo, dinheiro, energia, vida a uma causa infundada.

A decepção é enorme!
O buraco que fica é gigantesco!
É um misto de vergonha, desânimo, falta de confiança em sí mesmo.
Sente-se perdido quanto ao futuro, afinal no que eu vou me segurar agora?

Por isso no filme um dos alunos se matou, pois realmente para alguns é como se a vida perdesse totalmente o sentido.

Mas começo agora a compreender melhor algumas coisas…
Inclusive começo a compreender também porque a minha grande aflição frente a estes assuntos…

No entanto, se faz necessário, infelizmente, desmontar a ilusão destes, pois na ignorância que estão, levados pela sua fé e, mesmo estando cheios de boas intenções, não percebem que puxam tudo para a sombra, para a ingnorância, para o não desenvolvimento, para o mal, para a morte….

A pergunta que surge é: Como agir diante disso?
Pois, dependendo do grau de alienação, palavras não vão adiantar
fatos não vão adiantar pois eles sempre vão conseguir torcer, entortar e encaixar os fatos apresentados de modo a justificar suas crenças.
Eu fiz muito isso e não percebia que estava fazendo
Tudo que me apresentavam, por mais forte que fosse, como que num golpe de Ai Ki Do eu conseguia devolver, conseguia achar uma forma daquele ataque me fortalecer ainda mais.
Afinal, sempre haverá uma forma de pegar um fato e subvertê-lo para que se encaixe às suas crenças, com raríssimas exceções

Desta forma, ao mesmo tempo que enxergo melhor agora, compreendo também como é difícil…
Como é difícil ouvir, enxergar, ver…
Como é difícil aceitar…
Como é difícil pensar em continuar caso haja a aceitação…

É, estamos diante de um cenário realmente muito complexo

No entanto, há de se vigiar constantemente para que não seja, de alguma outra forma, engajado novamente em alguma outra ONDA

Abaixo o filme na íntegra no YouTube.
Se não quiser ver o filme todo, veja a partir de 1:30:00, a parte que o professor desmonta A Onda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + dez =