A Crise e o Desemprego: 12 dicas para conseguir emprego em meio à crise

Em relação à crise, de um lado, felizmente, o brasileiro da classe média e da classe baixa não vive “alavancado” (termo típico do mercado financeiro), ou seja, dependendo de crédito financeiro na sua vida pessoal como os americanos e os europeus. Além disso, o momento até agora foi favorável, pois o período de fim de ano é sempre de alto consumo. Estes são dois pontos importantes ajudaram até agora o Brasil a lidar com este momento delicado.

Ajudando ou mascarando, não sabemos ainda de fato, pois do outro lado, as exportações continuam caindo e setores como o automobilístico e o de eletro-eletrônicos, por exemplo, já demonstram grande queda de consumo. Tudo isso faz com que toda a cadeia produtiva sofra, causando desaceleração e, conseqüentemente, desemprego.

No entanto, com a esperança de que esta crise possa passar mais rapidamente do que o alarmado, juntamente com o costume nacional de que o ano só começa após o carnaval, muito provavelmente muitas demissões ainda estão por vir. Por tudo isso, o cenário para o início de março é bastante preocupante, sendo bastante provável enfrentarmos um período mais forte de demissões após o carnaval.

Por tudo isso, acho importante dar algumas dicas sobre o que fazer para conseguir um emprego em meio a esta crise que já atingiu alguns, mas poderá atingir muitos outros em breve.

Algumas dicas são mais específicas para quem está empregado, enquanto outras são voltadas para quem já está desempregado. Também, algumas se encaixam em qualquer período e não apenas para momentos de crise, no entanto considero bastante interessante refletir sobre estas dicas neste momento.

Aí vão minhas doze dicas para você que deseja segurar seu emprego ou para aqueles que procuram emprego em meio à crise:

1. A primeira de todas é em relação às suas finanças pessoais. Cuidado com seus gastos. Evite adquirir coisas supérfluas neste período. Cuidado com as promoções e liquidações: é normal haver muitas em períodos de crise, pois há dificuldade em vender. Planeje seus gastos e procure manter-se coerente com o que foi planejado.

2. Se você ainda está empregado e tem uma entrada de caixa periódica, crie reservas e, se possível, tente criar entradas de caixa alternativas. Lembrando da fábula da cigarra e da formiga, aja como a formiga. Se possível, guarde dinheiro. Qualquer quantia.

3. Lembre-se que, em épocas de crise, as idéias acontecem. Enquanto alguns choram, outros vendem lenços. Portanto, coloque sua imaginação e criatividade para funcionar, analise as oportunidades que podem aparecer e veja como você pode se beneficiar delas. Faça este exercício de verdade e verá, por incrível que pareça, que elas existem e muitas vezes, estão ao seu alcance.

4. Nunca desanime. Se enfrentar a crise animado é difícil, imagine desanimado. O desânimo não ajudará em nada. Tenha isso muito claro em sua mente. Deixe o lado negativo do lado de fora e não o deixe entrar. Evite concentrar-se negativamente na crise, levando otimismo para quem contrata e para seus contatos.

5. Mantenha-se informado. Jornal é muito barato, e ler notícias pela Internet, se você já tiver uma conexão, não custa nada. Informação nestes momentos são muito importantes e podem ser uma fonte de inspiração, ajudando-o a vislumbrar novos horizontes. Além do que, poderão também ajudar a manter-se informado sobre o mercado e as vagas anunciadas.

6. Considere as hipóteses de trabalho em regime de prestação de serviços ou em outros ramos de atividade ou segmentos do mercado. Em época de crise, devemos estar predispostos a fazer coisas que talvez não faríamos em outros momentos, de forma a mantermos nosso custo fixo em dia e não entrar em dívidas. Sem dúvida, isso pode ser apenas temporário, mas vale a pena considerar estas hipóteses.

7. Se ainda está empregado, mantenha sua empregabilidade em alta. Busque atualizar-se sempre, principalmente com assuntos relacionados ao seu cargo, profissão ou ramo de atividade. Seja conhecedor das novidades do meio e, sempre que possível, participe de feiras, workshops e palestras. Leia livros e periódicos relacionados e esteja sempre acessando sites relacionados, bem como fóruns e grupos de discussão. Pratique e exerça o que for possível dentre as novidades com que está tomando contato. Busque este objetivo: tornar-se uma referência em seu meio.

8. Mantenha seu networking ativo. Retome contato com pessoas com quem há muito não conversa. Tenha-as mais próximas. Se possível, expanda seu network. Já falei bastante sobre este assunto em meu outro artigo, “O que é Networking”, publicado anteriormente. Vale revisitá-lo.

9. Quando estiver diante de uma oportunidade real de emprego, demonstre flexibilidade na hora da negociação salarial. Tenha em mente a realidade do mercado e a possível quantidade de candidatos que podem estar dispostos a aceitar a vaga por um salário menor. Talvez nesta hora possa tentar um acordo para renegociar o salário após um período de experiência, ou até mesmo, até um período mais longo. Mas pode não ser uma atitude sábia mostrar intolerância quanto ao salário nesta hora, num momento como este.

10. Demonstre energia, proatividade e, principalmente, foco em resultados. Nestas horas, as empresas também passam por dificuldades e, muitas vezes, estão trabalhando de modo enxuto. Elas precisam conseguir resultados positivos para se manterem. Mostrar disposição para o trabalho e foco em resultados demonstrará uma postura totalmente alinhada com o momento da empresa.

11. Se estiver empregado, ao perceber que sua empresa passa por dificuldades, procure pensar o que sua empresa poderia fazer de diferente. Que medidas poderiam ser adotadas para diminuir gastos ou aumentar o faturamento. Muitas vezes você se encontra numa posição que lhe permite ver coisas que seus superiores não estão vendo. Nestas horas, uma boa idéia pode acabar significando uma redução de custos ou uma oportunidade de ganho ainda não percebida. Se identificar algo assim, crie uma comunicação educada, bem-estruturada, e comunique seu superior. Isso poderá ser visto e, quem sabe, melhorar sua posição dentro da empresa, ou até mesmo salvá-la.

12. Por último e mais importante, não negligencie sua saúde. Ela será muito necessária neste momento difícil, onde é preciso muita energia e disposição. Para tal, procure ser compreensivo com você mesmo e perceba que esta não é uma situação isolada, mas pelo contrário, muito comum. Evite o sentimento de culpa. Se for olhar o passado, faça isso apenas para perceber onde errou e pode corrigir. Utilize o passado apenas como referência para melhorar, e não para se culpar.

Finalizando, como sabiamente diz Stephen Covey em seu livro “Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes”, a crise está dentro do Círculo das Preocupações, com realidades que o indivíduo não pode alterar. Então o que ele pode fazer é procurar expandir o seu Círculo de Influência, a esfera onde ele pode atuar e que ele pode modificar, identificando problemas, buscando oportunidades e propondo soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =