O velho, o menino e o burro

Era uma vez um velho, um menino e um burro que caminhavam pela estrada.

O velho e o menino andavam lado a lado enquanto que o velho puxava o animal.

A certa altura, passou uma pessoa e disse:

– Nossa, que desperdício! Vocês têm um burro. Por que não o usam? Ao contrário, ficam poupando o burro, um animal de carga, e andam a pé. Que desperdício!

O velho, ouvindo isso, pensou: “É mesmo, acho que ele tem razão”.  Colocou o menino sobre o burro e continuou a pé, puxando o animal.

Pouco tempo depois, passaram duas outras pessoas que disseram:

– Nossa, que injustiça! O menino, novo e cheio de energia, vai montado no burro. Já o velho, coitado, com idade avançada, fica andando a pé. Que injustiça!

O velho ouviu o comentário e pensou: “É mesmo, acho que eles têm mesmo razão”. Daí trocou de lugar com o menino. Montou no burro, e o menino seguiu a pé, puxando o animal.

Logo depois, passaram outras pessoas, que disseram:

– Nossa, que abuso! O velho, que já é um homem feito, vai todo folgado no burro, e o menino, coitadinho, tão pequeno, tem que ir a pé puxando o burro e esse velho folgado. Que abuso!

Ouvindo os comentários dessas pessoas, o velho pensou: “Nossa, que vergonha, acho que eles têm mesmo razão”. Chamou o menino e, tirando-o do chão, passaram a ir ambos no lombo do animal.

Nessa hora, passou um grupo com várias pessoas, que disseram:

– Nossa, que absurdo! Coitado do burrinho! Precisa levar dois ao mesmo tempo no lombo, coitado! Não poderiam revezar, ora o velho, ora o menino? O ser humano não tem mesmo nenhuma consideração com os pobres dos animais. Coitado desse burrinho! Que absurdo!

O velho, então, ouvindo o que todas aquelas pessoas falavam, pensou: “Nossa, é mesmo, acho que eles têm mesmo razão. Coitado do burrinho”.

Desceram ambos do burro e a partir deste momento, tanto ele quanto o menino começaram a carregar o animal nas costas.

A partir deste momento, TODOS QUE PASSAVAM riam e zombavam da cena:

– Hahaha! Que idiotas! Isso não tem o menor cabimento! Que velho estúpido! Isso é ridículo! QUE ABSURDO! Hahaha!!!

 

Moral da história:

Não importa o que você faça, sempre haverão alguns que condenarão suas ações.

Na maior parte das vezes, ao tentar agradar alguns poucos, estará ao mesmo tempo desagradando um maior número de pessoas.

Sabendo disso, desde que esteja agindo com bom-senso e sabedoria, não se importe tanto com a minoria que reclama e compreenda que ela sempre existirá e não se esqueça também que em grande parte das vezes, ao tentar agradá-la, você acabará desagradando a maioria além do risco de virar objeto de chacota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =